Início

domingo, 4 de julho de 2010

Veja os jogadores da Seleção Brasileira favoráveis ou contra a união gay; o zagueiro Lucio é o mais ortodoxo

O colunista Bernardo Pombo, do jornal O Globo, faz uma tabelinha com perguntas e respostas rápidas com jogadores da Seleção Brasileira na coluna Bola de Meia: causos, curiosidades e memória do futebol. Na tabelinha realizada com os jogadores evangélicos, as posições contrárias aos homossexuais ficaram mais do que evidentes.
Para começo de conversa, o zagueiro Lucio tem como ídolo Jesus Cristo, acha o pastor da Assembleia de Deus Silas Malafaia uma pessoa inteligente, gosta da cantora gospel Eyshila, sua música preferida é o gospel Faz Um Milagre em Mim e é contra a união gay, pois – segundo ele – “vai contra a lei da natureza”.

Como de costume, a imprensa brasileira não se mostra simpatizate à causa gay, pois sempre atrela outros temas distintos (mas que considera como polêmicos) no mesmo pacote. Assim, o jornalista Bernardo Pombo questionou sobre o aborto, a legalização da maconha e da pena de morte.
Do mesmo modo como à união gay, o jogador Lucio disse ser contra. Já o volante Felipe Melo é a favor da pena de morte, mas contra a união gay. Ou melhor, “totalmente contra”, como respondeu. Casado, o jogador disse que o que olha primeiro em uma mulher são as unhas. “O que eu olho primeiro são as unhas. Bem cuidadas mostram que a mulher não é relaxada”, disse.

Simpatizantes – Não só de jogadores contrários às causas gays é composta a seleção. O zagueiro Juan disse ser católico, mas a favor do casamento gay. Por sua vez, é contra o aborto, a legalização da maconha e a pena de morte.Luis Fabiano, o atacante artilheiro da Seleção na Copa do Mundo, é evangélico, tem como ídolo o ex-jogador Zico e – apesar da religião – mete um gol de placa contra a discriminação e diz ser a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.


Fonte: Mundo Mais

1 comentários:

Rikc Borges disse...

Bom saber que a partida contra discriminação não está perdida \º/!!