Início

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

E-mail do Internauta: Realidade Gay brasileira



É ilusória a realidade gay brasileira.
Como homossexual me envergonho quando me deparo com certas situações que não passam de corriqueiras no dia a dia de uma metrópole como SP ou mesmo BH onde moro.
Existe certa cegueira que toma conta do ser humano quando por necessidade, carência ou promiscuidade se depara com sexo fácil, ou em nossa realidade, a oportunidade e o desejo de um pênis.
Sempre digo: meu corpo é sagrado e pra pôr a mão, a boca ou o pau aqui meu amigo...Têm de fazer por merecer!
É lindo? Bombado? Pauzudo? Grande coisa!
Tô querendo saber é se presta! Se têm boa índole e respeito para com si mesmo e com a vida.
Acho um absurdo a banalização do beijo, da penetração e do sexo oral. Isso era pra ser curtido de maneira diferente e única com quem se tem afinidade, e não com qualquer estranho que cruze o meu caminho cheio de tesão.
Quem é adepto desta prática sexual está envolvido na mesma sintonia e infelizmente não vai atrair nada que preste.
Todos ouvimos diariamente discursos sobre sexo seguro e camisinha, assim como passeatas gigantescas proclamando respeito...
O respeito é conquistado! É isso que ninguém entende!
Pode parecer meio pesado tudo isso, meio dedo na ferida demais...Fazer o que?
Os HIV positivos deixaram seu peso psicológico preventivo na mídia depois que os avanços da medicina, permitiram uma vida mais que normal e saudavelmente balanceada.Antes, as fotos dos debilitados em suas camas com olhos saltados de tanta magreza surtiam mais efeito. Pensava-se duas vezes antes de, no meio da madrugada, embriagado de álcool e de tesão se permitir ficar com o primeiro que aparecesse na pegação.
Tudo bem, um dia se aprende, nem que da pior maneira possível...
by - Xisto Lopes

2 comentários:

Gospel disse...

Discordo desse e-mail em gênero, número e grau! Na verdade a linha de raciocínio seguida à crítica da promiscuidade ou sexo frágil está sustentada no conceito heteronormativo da sociedade cristã. Na verdade, é um grito do superego condenando com forte repressão o desejo, e sua satisfação, ou busca.
Envergonho-me da sociedade não por ser eu gay, e fazer pegação, envergonho-me dos homossexuais, aqui em BH, onde moro, por muitos repetirem os conceitos homofóbicos de igrejas cristãs, de família 100% certa, honesta e feliz e do preconceito internalizado.
Malhado, bonito e de pauzão que quiser transar comigo, ficarei profundamente lisonjeado, até porque, o meu corpo é sagrado, e à prática religiosa, tem por tradição que se toquem no sagrado. Enfim, não será eu que mudarei os costumes (rsrsrsrs).
Foucault dizia de inventar um jeito de ser homossexual sem, necessariamente, conformar-se com o discurso heterossexual que todo gay é promíscuo. Quando o gay supera o conceito de promíscuo ele se liberta, e a questão do HIV nesse discurso do e-mail é mais uma PUNIÇÃO ao ego, de caráter quase que místico do que um protesto verdadeiro e de significados, de fato, sinceros...
Lamentável que exista pessoas tão abitoladas, isso é mesquinhez, pequenez. Falta senso, falta verdadeiro valor, sobrou pragmatismo.

Xisto Lopes disse...

Gospel, tudo bem...
Cada um vive da maneira que quer...
Use o seu corpo como acha que deve, e assim faço com o meu...
Vc discorda de mim - com todo o direito - assim como discordo deste tipo de comportamento.
Isso é respeito!
=)